FECHAR
Feed

Já é assinante?

Entrar
Índice

Eficácia da Vacina para COVID-19 em Adolescentes

Autor:

Lucas Santos Zambon

Doutorado pela Disciplina de Emergências Clínicas Faculdade de Medicina da USP; Médico e Especialista em Clínica Médica pelo HC-FMUSP; Diretor Científico do Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP); Membro da Academia Brasileira de Medicina Hospitalar (ABMH); Assessor da Diretoria Médica do Hospital Samaritano de São Paulo.

Última revisão: 09/09/2021

Comentários de assinantes: 0

Contexto Clínico

 

Embora crianças e adolescentes geralmente tenham covid-19 em forma mais leve comparados a adultos, doenças graves podem ocorrer nessa população, especialmente naqueles com comorbidades. Os adolescentes podem desempenhar um papel importante na transmissão do SARS-CoV-2, e, portanto, sua vacinação pode prevenir doenças e contribuir para a imunidade de rebanho. Além disso, com a imunização de pessoas mais velhas, as pessoas mais jovens são responsáveis ??por uma proporção maior de infecções por covid-19. A vacinação de estratos mais jovens da sociedade pode contribuir de diversas maneiras para o controle da pandemia na fase atual.

 

O Estudo

 

Apresentamos um estudo multinacional em andamento, controlado por placebo e cego para observadores, no qual os participantes foram randomizados em uma proporção de 1: 1 para receber duas injeções, com 21 dias de intervalo, de 30 µg de BNT162b2 (vacina Pfizer-BioNTech) ou placebo. O objetivo de imunogenicidade foi avaliado por meio da não inferioridade da resposta imune à BNT162b2 em participantes de 12 a 15 anos em comparação com participantes de 16 a 25 anos. Foram avaliadas a segurança (reatogenicidade e eventos adversos) e a eficácia contra a doença por coronavírus confirmada (covid-19; início = 7 dias após a dose 2) na coorte de 12 a 15 anos de idade.

No total, 2.260 adolescentes de 12 a 15 anos de idade receberam aplicações; 1.131 receberam BNT162b2, e 1.129 receberam placebo. Como foi constatado em outras faixas etárias, a BNT162b2 teve perfil favorável de segurança e efeitos colaterais, principalmente com reatogenicidade leve a moderada transitória (predominantemente dor no local da injeção [em 79 a 86% dos participantes], fadiga [em 60 a 66%] e dor de cabeça [em 55 a 65%]). Não houve eventos adversos graves relacionados à vacina, e houve poucos eventos adversos graves gerais. A proporção média dos títulos de neutralização de 50% do SARS-CoV-2 após a dose 2 em participantes de 12 a 15 anos em relação aos participantes de 16 a 25 anos foi de 1,76 (IC 95% 1,47 a 2,10), que atendeu ao critério de não inferioridade e indicou resposta maior na coorte de 12 a 15 anos. Entre os participantes sem evidência de infecção anterior por SARS-CoV-2, nenhum caso de covid-19 com início em 7 ou mais dias após a dose 2 foi observado entre os receptores de BNT162b2, e 16 casos ocorreram entre os receptores de placebo. A eficácia da vacina observada foi de 100% (IC 95% 75,3 a 100).

 

Aplicação Prática

 

Este estudo demonstra que um regime de duas doses de 30 µg de BNT162b2 (vacina Pfizer-BioNTech) administrada com 21 dias de intervalo a adolescentes de 12 a 15 anos de idade foi seguro e imunogênico e resultou em eficácia da vacina observada de 100% contra covid-19 7 dias após a segunda dose. E quais são as implicações deste resultado? Vacinar adolescentes previne a covid-19 nesse grupo, mas traz benefícios indiretos para a comunidade, dada a imunidade de rebanho. Embora as crianças geralmente tenham carga menor de covid-19 sintomática do que os adultos, escolas e outros ambientes de alta circulação de jovens podem representar importantes fontes de surtos e transmissão contínua, mesmo havendo imunização de adultos. Além disso, a vacinação de adolescentes permitirá que eles se reintegrem à sociedade e retomem o aprendizado pessoal com segurança, resultados especialmente importantes para aspectos psicológicos e sociais que foram comprometidos com a pandemia. Obviamente precisamos de dados semelhantes quanto às demais vacinas que estão em uso no Brasil, como a CoronaVac e a vacina da AstraZeneca.

 

Bibliografia

 

1.             Frenck RW et al. Safety, Immunogenicity, and Efficacy of the BNT162b2 Covid-19 Vaccine in Adolescents. N Engl J Med 2021; 385:239-250.

Conecte-se

Feed

Sobre o MedicinaNET

O MedicinaNET é o maior portal médico em português. Reúne recursos indispensáveis e conteúdos de ponta contextualizados à realidade brasileira, sendo a melhor ferramenta de consulta para tomada de decisões rápidas e eficazes.

Medicinanet Informações de Medicina S/A
Av. Jerônimo de Ornelas, 670, Sala 501
Porto Alegre, RS 90.040-340
Cnpj: 11.012.848/0001-57
(51) 3093-3131
info@medicinanet.com.br


MedicinaNET - Todos os direitos reservados.

Termos de Uso do Portal

×
×

Em função da pandemia do Coronavírus informamos que não estaremos prestando atendimento telefônico temporariamente. Permanecemos com suporte aos nossos inscritos através do e-mail info@medicinanet.com.br.